A História

A arte de champanhe tem uma rica história que remonta aos tempos medievais.

Antes do século 17, na, região de Champanhe, França, produzia apenas vinhos - e não o vinho espumante hoje mundialmente famoso. A Igreja Católica possuía muitos vinhedos de champanhe e os monges produziam seus próprios vinhos para uso no sacramento da eucaristia. Os reis da França eram ungidos aqui na região de Montagne de Reims, em Champanhe, e o vinho não efervescente da região era servido em festas de coroação.

No século 17, empregando novos métodos de fermentação, os produtores de Champanhe começaram a produzir vinho espumante pela primeira vez. A popularidade deste novo tipo de vinho levou a um boom global na produção de vinho espumante - mas hoje, apenas os espumantes produzidos, engarrafados e envelhecidos na região francesa de Champanhe podem juridicamente reivindicar o termo "Champanhe".

O Champanhe Brut , criado para atender à demanda por champanhes mais secos, estreou na segunda metade do século 19. Os champanhes Brut clássicos, inclusive o Armand de Brignac Brut Gold, são feitos de uma mistura de uvas de anos de colheita diferentes para alcançar a característica especial que reflete a natureza única da casa. A qualidade da suas uvas de anos diferentes de colheita Brut é, muitas vezes, o padrão pelo qual cada Chateau é medido - este é o vinho mais próximo em estilo ao que é produzido pelos pioneiros originais de Champanhe.

A característica ousada do Armand de Brignac nasceu da mesma paixão e imaginação que os pioneiros de Champanhe tinham. Como eles, o Armand de Brignac não pode ser definido por convenção.